Vampire the Masquerade – Redemption


Visto que recentemente o oculto e em especial o universo “vampiros” têm vindo a ganhar uma enorme popularidade, hoje venho-vos falar de um jogo baseado no universo World of Darkness da White Wolf, o Vampire the Masquerade: Redemption.

História

A história começa no ano 1141 D.C. com o ferimento grave de um jovem templário, Christof Romuald,  numa das muitas batalhas travadas pelas Cruzadas nessa era, deixando-o inconsciente e em perigo de vida. Para recuperar dos seus ferimentos, Christof é deixado num convento pelo seu batalhão, onde uma freira jovem e incomensuravelmente bonita, chamada Anezka trata das suas feridas. Passado uns dias, Christof reganha a conciência, e começa a criar um afecto especial pela freira, algo que o perturba bastante, visto o amor a uma serva de Deus ser contra tudo o que acredita e contra a fé que representa.

Nesta altura, criaturas malignas ameaçam Praga, a cidade onde ele se encontra, existindo mesmo um ataque ao convento no qual ele se encontra, e com o qual teremos de lidar. Após este incidente, Christof descobre que existe uma força maligna por detrás destes ataques, oriunda de umas minas perto da cidade. Christof interpreta esta série de acontecimentos como um acto divino sobre o qual ele deve agir de forma a recuperar a sua fé e a se redimir das emoções que possui para com a freira Anezka.

Christof, ainda não totalmente recuperado, parte assim para as minas e após uma série de combates e conflitos descobre a origem deste mal e derrota Ahzra, the Unliving, uma vampira pertence ao tenebroso clã Tzimisce.

Ahzra, The Unliving

As notícias desta vitória épica não passam despercebidas ao líder do clã de vampiros dominante em Praga, e pouco após o regresso triunfal de Christof, Ecateria, The Wise, líder do nobre clã Brujah, embraça Christof, reconhecendo o seu grande valor e potencial. A conversão de Christof para vampiro finaliza uma total ruptura com a sua fé, condenando a sua alma para toda a eternidade, todavia Christof não o aceita e procura uma maneira de conseguir redimir a sua alma e se possível voltar a ser novamente humano.

Enquanto ele se debate com a sua nova situação, a freira Anezka é raptada e tornada numa ghoul por parte de vampiros anteriormente aliados a Ahzra, como forma de ripostar e punir Christof pelo assassínio da sua aliada. Christof jura que irá recuperar Anezka, sabendo que para isso rerá que aprender a controlar e fazer uso dos seus poderes negros. Esta série de eventos leva-o numa aventura ao longo das eras e numa espiral descontrolada entre a sua humanidade e o seu lado negro… e agora, que decisões vais tu tomar para conseguires o poder necessário para recuperar Anezka?

Sobre o jogo

Este é um excelente RPG baseado no universo bastante rico em história, que é o World of Darkness. As notas que foram atribuídas ao jogo pecam por serem baixas, mas é algo que por um lado se percebe, pois sofre do típico e eterno problema de ser baseado em algo tão popular e tão rico em informação, que irá sempre decepcionar alguém por alguma escolha feita quer em termos de conteúdo como em termos de como o mesmo é passado para o jogo em si… enfim, se todos os RPG’s com estas notas fossem tão bons como este, eu certamente não teria as dificuldade que tenho para encontrar algum que RPG que me dê prazer jogar…

Em termos de jogabilidade, o jogo apresenta uma jogabilidade única, que realmente nos dá prazer de jogar como um vampiro, tendo à nossa disponibilidade um leque variado de poderes que se adaptam ao vosso estilo de jogo e que trazem também um bom valor de replay do mesmo. Podemos ter na nossa equipa um total de três aliados, ou seja podemos controlar até 4 vampiros, cada qual com as características específicas do seu clã, o que novamente introduz muita variedade ao jogo.

Em termos de gráficos, o jogo apresenta gráficos bastante decentes para a altura em que o mesmo saiu, mas enum grande  aspecto positivo, nota-se que os mesmos apresentam grandes detalhes quer nos edifícios das diferentes eras, quer nos objectos que decoram os mesmos, fazendo com que os jogadores se sintam como uma parte do jogo, experiência essa que é em tudo melhorada pela vertente sonora que o jogo apresenta, seja através de dialectos próprios da altura (embora alguns não tenham sido lá muito bem conseguidos…) como de todos os efeitos sonoros e música de fundo.

Só para terminar este pequeno review, devo referir também que o jogo possui fins diferentes que resultam de opções tomadas pelo jogador, especialmente relacionadas com a humanidade (ou falta dela) de Christof, e que embora as notas baixas, uma rápida consulta pelas reviews feitas por utilizadores resulte em vários comentários como: One of the most underrated games ever.

E como sempre, aqui fica a intro do jogo:

E uma das músicas pertencentes a esta excelente banda sonora:

~ por Izilthir em Terça-feira, 9 \09\UTC Março, 2010.

8 Respostas to “Vampire the Masquerade – Redemption”

  1. Ótimo artigo, foi muito elucidativo, estive procurando informações sobre esse jogo por causa dos filmes de Stephanie Meyer(da série Crepúsculo – lua nova/eclipse) que me fizeram voltar à tona com a memória sobre ele.
    Mas ficou a pergunta, achei um jogo com essse título: “Vampire: The Masquerade – Bloodlines”, ele é continuação desse antigo?
    Ou é apenas um jogo da mesma produtora (white wolf & activision) com outra história?

    • O Bloodlines é um pouco diferente, é um jogo muito mais orientado para a aventura/acção, e respondendo directamente à tua pergunta, não, não é uma continuação do Redemption.

      Pessoalmente prefiro o Redemption, que é têm uma história mais elaborada e que acho mais apelativa, mas por outro lado no Bloodlines podemos escolher qual o clã que pretendemos ser, o que nos deixa experimentar mais pormenores sobre os vampiros do universo do World of Darkness.

      Mas se procuras jogos relativamente aos “vampiros” do Twilight então estes não são os mais apropriados para o efeito.

  2. Tenho estado tão ocupado ultimamente que nem tenho tido tempo de visitar o teu blog.

    Anyway eu “cacei” esse jogo depois de tar acabado o bloodlines e fiquei desiludido, não pela diferente jogabilidade mas sim porque o jogo era muito inconsistente, o combate tornava-se extremamente monótono passado pouco tempo, a história começou bem, mas lá para a 2ª metade tornou-se não existente com plot points que apareciam e desapareciam sem serem resolvidos ou abordados e o pior é que para teres o final “bom” és obrigado a enfraquecer o teu main character

  3. Procurei por aí… num site desse que armazena torrents e descobri o jogo para baixar, falta só descobrir como jogá-lo, vc sabe como me ajudar nisso Izilthir?
    gostaria de entrar em contato e pedir umas dicas.

  4. vocês sabem se vai ter alguma “continuação” do vampido a mascara Bloodlines? já que estamos numa epoca em que tudo hoje se fala de vampido fico pensando se poderia haver outro jogo desde mesmo modelo, alguem sabe me dizer?

    abraço a todos e boas festas!”!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: